O poder das mídias sociais para as empresas

A sua empresa pode ser grande ou pequena, estar começando ou já estar consolidada no mercado, pouco importa: a realidade é uma só – ou a sua empresa marca presença na Internet, ou ela vai ficar para trás. E todos nós sabemos que, com uma economia em crise e uma concorrência global crescendo em nível acelerado, ficar para trás não é uma opção.

Ainda assim, quando o assunto é utilizar a Internet como ferramenta para alavancar seus negócios, muitos empresários ainda apresentam uma certa relutância… Por isso, vale aqui reassegurar: não há razão alguma para se ter medo. Se bem utilizada, a Internet pode ser uma ferramenta de peso na hora de fortalecer a sua marca, tornando-a mais visível e acessível aos consumidores e potenciais novos clientes.

Existe um aspecto, em particular, do uso da Internet que merece uma atenção toda especial por parte da sua equipe gestora: trata-se do uso das mídias sociais. Vamos começar pelo começo: você sabia que existe uma diferença entre os conceitos de rede social e mídia social? Não? Então calma que a gente já te explica:

Rede Social x Mídia Social

As redes sociais são ferramentas desenvolvidas para conectar pessoas, permitindo uma interação de forma mais direta e pessoal. É o caso, por exemplo, do Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e do “primo feio” Google+. O uso de redes sociais está em franca expansão no mundo todo: até o ano passado, já éramos mais de 2,8 bilhões de pessoas conectadas através de sites ou aplicativos de redes sociais. É claro que, para além das redes mais conhecidas e genéricas, como as mencionadas anteriormente, existem ainda aquelas redes sociais que se dedicam à um setor ou nicho específico: é o caso, por exemplo, das redes TripAdvisor, que foca no segmento de viagens, turismo e hotelaria, Houzz, voltada para arquitetos e designers de interiores, e Empreendemia, voltada para empreendedores.

O conceito de mídias sociais, por sua vez, é mais amplo. Ele engloba também a noção de rede social, mas não se limita a ela. Por mídias sociais entendemos todos os meios – mídias – que permitem comunicar uma dada informação às pessoas. Redes sociais são mídias sociais, assim como também o são blogs, vídeos e newsletters, além de publicações não-digitais, como jornais e revistas. Por isso, ao defender o uso de mídias sociais para alavancar o seu negócio, deve-se pensar bem além do simples uso do Facebook.

A grande vantagem para a sua empresa, ao apostar em mídias sociais digitais, é que elas permitem uma maior interatividade entre o lead ou cliente e a sua marca. E é justamente essa interatividade que fornece os meios para o estabelecimento de uma relação de longo prazo.

Mídias sociais: como usar?

O mercado tem experimentado uma verdadeira revolução na forma de interagir com essa nova geração de consumidores. A geração anterior estava focada no produto: bastava oferecer um produto ou serviço de qualidade para garantir a satisfação do consumidor. A nova geração, contudo, está bem mais exigente e consciente das alternativas que a Internet lhe proporciona. Justamente por isso, é na experiência de compra que esses novos clientes estão focados.

A experiência de compra implica conhecer as necessidades e expectativas do seu consumidor, e ser capaz não só de atendê-las, mas de ir além. Nesse contexto, as mídias sociais são um grande aliado da sua empresa.

Através de publicações em blogs e redes sociais, a sua empresa tem a oportunidade de fazer o primeiro contato com futuros clientes, atraindo leads, e de apresentar a sua identidade de marca. É importante focar nos valores defendidos pela marca e buscar oferecer conteúdos que apresentem a visão da empresa e que sejam ao mesmo tempo relevantes e significativos para o nicho de mercado em que a sua marca atua. Criar essa identificação do consumidor com a marca tem que ser o objetivo primeiro da sua empresa ao se lançar nas mídias sociais.

Um objetivo paralelo é garantir que a sua empresa seja conhecida pelo maior número de internautas possível. As estratégias para isso são variadas: técnicas de SEO podem garantir um melhor posicionamento da sua página e das suas publicações em redes sociais nas buscas realizadas no Google e buscadores afins. Pode-se ainda investir em campanhas patrocinadas que sejam direcionadas ao seu nicho de mercado: Facebook e Google possuem ferramentas específicas para isso. Uma terceira via, que é certamente a de maior efetividade e menor custo, é investir na qualidade dos conteúdos publicados pela sua página – garantindo que sejam compartilhados nas redes sociais e que atinjam, assim, amigos e familiares dos seus leitores-alvo.

Redes Sociais: melhorar o relacionamento com cliente

Muitas empresas têm utilizado as mídias sociais, em especial as redes sociais, como um upgrade dos canais de comunicação tradicionais com os clientes. Além de permitir uma interação mais personalizada, os uso de redes sociais para comunicação direta é menos burocrático e mais ágil, do ponto de vista do cliente, agregando, assim,  valores positivos à marca.

As redes sociais permitem ainda uma avaliação mais precisa, por parte dos gestores, do alcance e receptividade do público à determinadas ideias ou produtos. Essa informação pode guiar futuras publicações e/ou ações de marketing, permitindo ir ao encontro daquilo que busca o seu público alvo, estreitando laços e construindo um relacionamento de sucesso.

Ferramentas de apoio: conheça o perfil do seu público-alvo

Para maximizar os resultados do uso de redes sociais, é recomendável buscar consultoria de especialistas em marketing digital. Entre as ferramentas oferecidas por esse segmento, estão a produção de conteúdos, uso de técnicas SEO e a gestão das redes sociais da sua empresa.

Outro ponto a se considerar é o investimento em ferramentas de gestão online, como  sistema ERP, que permitam delinear, com clareza, o seu público alvo, bem como os produtos ou serviços mais buscados pelos seus consumidores, focando em automação comercial permitindo assim o melhor controle desenvolvimento das suas ações em mídias digitais.

Existe época do ano melhor para reformar a casa?

Com planejamento, é possível fazer uma reforma sem dores de cabeça

A reforma da casa normalmente é um período de estresse. Para que isso não aconteça e para evitar possíveis dores de cabeça é indicado que se faça um planejamento antes de começar qualquer reforma, por menor que seja. Mão de obra qualificada, matérias de construção de qualidade, engenheiros e arquitetos são gastos necessários para a eficácia da sua a reforma.

Se a reforma for grande, muitas pessoas optam por sair de casa. Alugar uma casa ou morar com familiares durante a reforma é uma boa opção para fugir do barulho, sujeira e incômodos que inevitavelmente as obras causam. O que não se pode esquecer é que as mudanças feitas são para um maior.

A organização e programação da reforma começam desde o momento que você decide que quer mudar algo. Por exemplo, quanto a melhor época do ano para fazer a reforma, você deve levar em conta o período de chuvas da sua cidade. Não tem como reformar uma casa externamente durante a chuva, então opte por meses de verão.

O orçamento também é um ponto importantíssimo antes de começar a obra. Com um engenheiro ou arquiteto, é possível que o cliente passe as ideias para o profissional e este, que analise a viabilidade da obra e se o orçamento se encaixa ou não ao cliente, fazendo as alterações necessárias. Com um profissional, também é possível ter um cronograma da obra, essencial para que o morador se programe.

Quanto aos materiais de construção, as lojas realizam promoções em diferentes épocas do ano, e uma dica é, mesmo que não tenha começado a reforma, compre os materiais. Comprando e estocando você garante redução de seus custos quando efetivamente começar a reforma, já que os materiais já foram pagos. Lembre-se que a escolha dos materiais é de profunda importância. Materiais de construção de baixa qualidade resultam em obras futuras.

Você sabe como funciona um software de gestão?

O software de gestão não é simplesmente a aplicação do senso comum básico às práticas comerciais. Na realidade, é um conjunto reconhecido de ferramentas e processos de software que, quando usadas juntas, simplificam os sistemas corporativos, com foco no tempo do empregado e no dinheiro da empresa, onde ele pode gerar o maior retorno.

Em resumo, um bom software de gestão empresarial é aquele que trás praticidade para as atividades da sua empresa.A proposta é que o sistema financeiro, cadastro de clientes, comercial, relação com a contabilidade e outros processos da administração e das finanças estejam organizados em um único software.

gestão empresarial

Uma ferramenta crucial no tratamento da complexidade

O foco principal do software de gerenciamento bem projetado é reduzir a complexidade e permitir que os gerentes saibam exatamente o que está acontecendo dentro de sua organização. Na maioria dos casos, à medida que as empresas modernas crescem, elas se tornam mais complexas. Eles se estendem geograficamente, adicionando escritórios e funcionários. Eles adicionam novas linhas de produtos, que exigem processos de fabricação e campanhas de marketing. E eles adicionam novos níveis de gerenciamento para lidar com a complexidade.

Toda essa expansão tem um custo, conhecido como complexidade. Se não for controlado, o crescimento da empresa pode levar à duplicação de pessoal, perda de controle sobre o comportamento da equipe, perda de controle de qualidade e comunicação precária entre muitos problemas potenciais. Isso faz com que as empresas de sucesso sejam cautelosas sobre o crescimento rápido demais.

O software de gestão comercial é uma ferramenta vital para as organizações que procuram expandir com segurança. Embora suas operações e receitas estejam crescendo, as empresas com uma estratégia de software de gerenciamento no local que funciona são capazes de manter suas estruturas livres de ineficiência.

Qual forma um sistema de gerenciamento de software leva?

O software de gestão ou ERP cloud é principalmente uma ferramenta unificadora, pois trazem processos importantes da empresa como fabricação, marketing, gerenciamento de inventário, pessoal, gerenciamento de relações com clientes ou investigação de produtos.

A maioria dos pacotes são coleções de bancos de dados. Eles armazenam os dados da empresa à medida que são criados, tornando-o compreensível para os gerentes e armazenando-o para uso futuro. Esses dados podem incluir qualquer coisa da lista de materiais para ações do produto, faturas não paga ou ordens de compra.

Que tipos de empresas usam software de gestão?

Em termos gerais, o software de gerenciamento foi adotado de forma mais rápida e extensiva no setor de manufatura. É naturalmente adequado para empresas que precisam equilibrar o fluxo de materiais com demandas de compra e condições de mercado. Isso se aplica ainda mais se a empresa em questão opera uma estratégia de fabricação just-in-time em princípios de fabricação enxuta.

A experiência do dia-a-dia em sistemas de gerenciamento de software

Se forem adicionados de forma apropriada e habilidosa, o software de gerenciamento permitirá que todos os funcionários desempenhem suas funções de forma mais eficaz. Os funcionários terão acesso a informações ao vivo sobre seu próprio departamento ede outros. Eles podem se coordenar de forma mais eficiente entre si, bem como com os gerentes.

Principais funcionalidades de um ERP (Software de Gestão Empresarial)

O ERP é um sistema completo que integra qualquer processo de negócio de uma empresa, centralizando todas as informações e mantê-lo sempre disponível e atualizada.

Este modelo automatiza cada um dos processos de gestão de negócios, tornando primeira a utilização e principalmente a eliminação de ligações entre os sistemas. Assim, informações de fabricação, logística, finanças e até mesmo recursos humanos tornam-se fluidas e estão sempre disponíveis.

Este tipo de software, geralmente, inclui diversas ações independentes ou modulares que vão replicando dados para centralizar ou simplesmente não centralizar.

Existem outros programas baseados em bancos de dados que são arquivos separados que torna o acesso à informação e sua disponibilidade não é limitado e alterado, por vezes assumindo um problema desnecessário.

Conheça algumas funcionalidades do software:

  • Controle financeiro
  • Emissão de nota fiscal
  • Controle de estoque
  • Orçamentos
  • Vendas
  • Emissão de boletos
  • Controle de orçamentos e vendas
  • Controle de cotações online
  • Backup 24 horas por dia

A questão é que uma gestão organizada é o primeiro passo para o sucesso de qualquer negócio e, por isso, o melhor software de gestão empresarial deve dar todas as ferramentas para isso.

Seu escritório de advocacia precisa de um site! Entenda

A prospecção de clientes é uma das principais preocupações de um advogado quando administra seu próprio escritório. Esse aspecto se torna ainda mais imprescindível atualmente, quando a sociedade está inserida em plataformas digitais e para alcançá-las, apenas se rendendo aos meios online.

Mas nem todos os profissionais entendem a necessidade de criar um site, que hoje em dia, se torna fundamental para a manutenção de um fluxo constante e crescente de clientes em seu escritório.

Que informações o seu site precisa ter?

Parece óbvio, mas não custa reforçar. No seu site é necessário apresentar aos usuários as principais informações sobre o escritório de advocacia. Ou seja, quais as áreas de atuação e os contatos dos membros, como um cartão de visitas em que os clientes possam encontrar todas as informações necessárias para entrar em contato.

Currículo

É interessante também adicionar um pequeno currículo dos membros do escritório, pois a experiência é altamente valorizada entre os clientes e os profissionais. Neste resumo, deve-se incluir o histórico acadêmico, experiências profissionais e áreas de atuação.

Formulários de cadastro

Todo site de escritório de advocacia deve ter um seção onde os clientes possam se cadastrar. Esse tipo de ferramenta facilita na hora de fazer uma triagem e encaminhar os casos a advogados especializados. Esse cadastro também pode ser usado para o envio de newsletter do escritório, se assim o cliente demonstrar interesse em recebê-la.

Alguns cuidados

O site deve estar atento às regras de publicidade da profissão, que são reguladas pela OAB. Por exemplo, você não pode incluir os valores de honorários cobrados dos seus clientes. Para saber mais informações, acesse o Código de ética e Disciplina da profissão.

Notas de dinheiro estrangeiro para comprar franquias

Investimento com segurança: Franquias crescem e apresentam sucesso nos negócios

O setor de franquias apresentou um lucro de R$ 37,6 bilhões no segundo trimestre de 2017

Cada vez mais, o segmento de franquias está crescendo no país. Inovação, compartilhamento, modelo de negócios estruturado e crescimento coletivo são uns dos pontos que trazem muitas vantagens. E cada vez mais empreendedores interessados em investir no novo plano. De acordo com Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor faturou R$ 35,2 bilhões no segundo trimestre de 2016. Este ano, o faturamento chegou a R$ 37,6 bilhões, 6,8% a mais em relação ao mesmo período.

Os segmentos que mais registraram aumento na receita trimestral e impactaram no lucro das franquias foram:

  • hotelaria e turismo (crescimento de 10,1%)
  • saúde, beleza e bem-estar (9,4%)
  • casa e construção (8,6%)
  • entretenimento e lazer (7%)
  • comunicação, informática e eletrônicos (6,6%)

Mesmo em tempos de crise, os resultados indicam a qualidade do modelo para quem deseja iniciar ou expandir seu negócio.

Confira também esta especialista em franchising, que fala as franquias que são tendência para 2017:

De acordo com o diretor de Relacionamento e Mercado da ABF para a Agência Brasil, Cláudio Tieghi:

“O setor de franquias cresce apesar da dificuldade da crise e apresenta a capacidade do brasileiro de ser um empreendedor”

As vantagens estão na consolidação do negócio em relação a um investimento novo, que ainda não foi desenvolvido.  

O brasileiro empreende cada vez mais

“Se você pegar a série histórica, [a taxa de empreendedorismo] cresce ano a ano. Mostra uma tendência de aumento da propensão do brasileiro para se tornar empreendedor. Quando veio a crise no ano passado isso continuou, com uma coloração mais forte em termos de necessidade”, afirma. Segundo ele, o modelo de franquia tem vantagens e desvantagens. “A principal vantagem é que você recebe um negócio praticamente pronto. O risco tende a ser um pouco menor”, comenta.

Antes visto como uma aquisição de grande necessidade de capital, as franquias já apresentam investimentos menores e mais acessíveis para investir. As microfranquias avançam como alternativa, com investimento inicial pequeno, de até R$ 80 mil. A microfranquia apresenta como vantagem não apenas o baixo investimento, como também a possibilidade, em alguns casos, de trabalhar dentro de casa – diminuindo os custos de uma empresa com sede, necessidades de contratação e outros gastos. Pode ser aumentada, a partir dos ganhos, e também permitir outras microfranquias.

Segundo o diretor de Relacionamento e Mercado da ABF, Cláudio Tieghi, “a microfranquia é uma opção para pessoas com perfil técnico ou de gerente. Ela se equipara a uma oportunidade de substituição do emprego. Em vez de estar em uma empresa trabalhando, [o franqueado] pode desempenhar essas funções em casa. Ele pode também projetar e sair da realidade de microfranquia. Pode ter várias unidades no país ou migrar para uma franquia tradicional”, afirma.

Entrevista com Especialista em Franquias

Em entrevista ao Sebrae MS, o presidente do grupo Zaiom, Arthur Hipólito, falou sobre a importância de gerenciar o sistema de franquias para gerar lucros e também expandir o próprio negócio.

De acordo com ele, antes de mais nada, o empresário precisa se identificar com o negócio para um possível investimento, mas ao mesmo tempo, manter cautela em relação à demanda financeira exigida. “Ter uma identidade com o trabalho, depois avaliar o perfil do investimento que você vai ter que fazer, pois mesmo sendo um investimento pequeno é necessário ter uma reserva, uma forma de suportar os gastos”, explica.

Arthur Hipólito - Grupo Zaiom - Franquias Home-Based
Arthur Hipólito – Presidente do Grupo Zaiom

Entre vantagens e desvantagens, é sempre necessário frisar: como todo negócio, a microfranquia precisa de dedicação e disposição, já que a capacitação e o trabalho duro são essenciais para permitir que a empresa siga com lucros. “O que é mandatório na microfranquia é o total envolvimento da pessoa. Ela vai passar a fazer o trabalho em modalidade empreendedora. Muitas vezes nem tem funcionários ou tem poucos. A microfranquia é um negócio enxuto”, explica o diretor.

Investir em uma franquia por um sistema home-based, isto é, que você pode montar em casa, pode ser uma boa opção para quem quer começar um negócio. Investimentos de até 20 mil reais estão disponíveis para quem deseja uma opção barata de franqueamento, em áreas como viagem e turismo, limpeza e conservação, serviços gerais, saúde e bem-estar e alimentação. É importante, para o franqueado, a identificação com a área e com o tipo de negócio a ser investido.

Educação Empreendedora

O presidente Arthur Hipólito ressaltou ao Sebrae MS a necessidade do aprimoramento contínuo tanto para o empreendedor quanto para a empresa. “O pequeno empreendedor tem que ter a visão de que sua empresa é uma escola, se ele tiver essa visão ele vai para empresa com disposição pra aprender, melhorar suas falhas e crescer”, afirma.

Curiosidades sobre o setor de franquias

Economize na hora de reformar sua casa!

É possível economizar quando o assunto é material de construção, basta um bom planejamento

Construir ou reformar é um processo complicado, que requer planejamento, dinheiro e tempo. Muitas vezes mesmo com tudo planejado e calculado o orçamento estoura, e isso é recorrente, chega a ser algo normal do processo. Mas existem diversas formas eficientes para sair do aperto e economizar até o fim da obra, sem que isso comprometa totalmente o financeiro.

Tudo que for pensado para o obra deve ser colocado no papel, todas as medidas, instrumentos e materiais que serão utilizados e alterações pretendidas. Essa é a etapa de listar tudo o que deseja, desde os acabamentos desejados, a modelos de portas, por exemplo. O aconselhável é fazer tudo isso em conjunto com um arquiteto ou engenheiro, pois profissionais especializados podem ajudar num bom planejamento e na precisão da quantidade e qualidade dos materiais.

O orçamento deve ser bem calculado com uma estipulação de teto de despesas de acordo com a situação financeira. Por exemplo, o gasto máximo será de 20 mil reais, esse valor será a meta e o indicado é não se distanciar dele. O orçamento deve ser feito em cima desse montante, com os gastos setorizados, divididos em partes estruturais, como elétrica e hidráulica, acabamento, mão de obra e imprevistos.

Muita pesquisa deve ser feita na hora de adquirir os materiais, os valores devem ser comparados, assim como a qualidade do produto. Pois economizar não significa somente comprar produtos baratos, mas encontrar materiais de boa qualidade com bom preço. Não tenha pressa na hora de comprar os materiais, como já dito, o segredo é priorizar os bons produtos, escolher marcas confiáveis, observar o rendimento, validade, durabilidade do que será adquirido.

Negociar as compras presenciais é uma ótima forma de economizar, peça descontos e cortesias e em caso de promoções, coloque tudo na ponta do lápis e veja se vale mesmo a pena. E a partir do cronograma da obra, faça as compras dos materiais por etapas, pois assim facilita o armazenamento dos produtos, busca valores ainda melhores e evita gastos desnecessários.

Fazendo as compras aos poucos evita-se também o desperdício de material e de dinheiro. Por isso é importante calcular as quantidades ideais para o serviço, e nisso o mestre de obras ajuda muito, um bom profissional pode fazer uma lista de compras adequadas. E é bom lembrar que é indicado comprar cerca de 20% a mais de material, pois podem haver perdas, irregularidades nas peças e vários outros imprevistos.

Evite compras por impulso e estabeleça prioridades no processo de construção. Deixe os materiais de acabamento e decoração para a hora certa e foque nos materiais básicos como pedra, areia, cimento, etc. Não compre materiais que estão prestes a vencer, mesmo que sejam mais baratos, pois não se sabe ao certo quando ele será utilizado completamente.

E controle tudo o que for comprado, pois os gastos excessivos acontecem pela falta de atenção. É necessário anotar cada despesa durante a obra, guardar as notas fiscais e até utilizar aplicativos ou planilhas se isso ajudar a saber os custos.

Como aumentar o mix de produtos da sua loja pode ser vantajoso!

O mercado de produtos naturais pode ser um novato no mundo dos negócios, porém é um segmento muito promissor. No ano passado segundo uma pesquisa da Euromonitor Internacional, o mercado brasileiro de alimentos e bebidas saudáveis faturou cerca de R$ 93,6 bilhões em vendas, o que colocou o país no ranking dos gigantes do setor.

A crise passa mesmo longe desse setor, nos últimos cinco anos as vendas avançaram em uma média de 12,3% ano ano, enquanto nos outros países o percentual ficou em torno de 8%. E a previsão é de que, até 2021, o crescimento seja de 4,4% por ano. Mas não são somente os números de faturamento que mostram o potencial do setor, os que se referem ao interesse dos brasileiros em se alimentar melhor também chamam a atenção.

O relatório Tendências Mundiais de Alimentação e Bebidas 2017, elaborado pela Mintel, mostrou que quatro em cada cinco brasileiros se dispõem a pagar mais caro num produto que tenha maior valor nutricional. 79% dos entrevistados afirmaram que em sua alimentação já substituem produtor convencionais por outros mais saudáveis.

E não foi só os proprietários de lojas especializadas que notaram uma maior procura, os donos de restaurantes, bares e lanchonetes também perceberam as novas exigência dos consumidores. O fato é comprovado pela pesquisa do Instituto Datafolha para a Assert, entre os quase 5 mil entrevistados, 53% disseram que puderam ver um aumento na procura por frutas, 61% observaram que seus clientes estavam comendo mais verduras e legumes e 65% notou o crescimento do consumo de sucos naturais.

Com o setor aquecido, surgem novas oportunidades

As lojas especializadas na venda de produtos naturais, normalmente, se dividem em dois tipos, as que vendem alimentos orgânicos apenas e as que investem em produtos processados mas com baixo valor calórico, sem glúten ou lactose, etc. Mas a gama de produtos que esses estabelecimentos podem oferecer é muito diversificada, e aumentando a variedade no seu negócio pode ser que as vendas também aumentem.

Uma forte tendência nesse setor são os suplementos e alimentos funcionais, normalmente procurados por pessoas que praticam atividade física regularmente. Apostar nesses produtos é conquistar um público cada vez mais crescente, o setor fitness chegou a apresentar um aumento de 22% no faturamento no ano passado segundo relatório da Pluri Consultoria.

Dicas de como conquistar seu cliente

Primeiramente é extremamente importante que você conheça seu negócio a fundo, todos os processos e funcionamento. A decisão de expandir seu ramo de atuação e gama de produtos já demonstra uma maturidade e maior entendimento do seu empreendimento, mas algumas dicas simples são válidas para fazer com que obtenha sucesso.

Aumentar a variedade de produtos de sua loja não fará os novos clientes virem naturalmente, é importante que você reserve um tempo de sua rotina de trabalho para pensar estratégias de chegar até esses clientes.

Se não tiver ainda canais de comunicação com seus clientes, é hora de criá-los! As redes sociais são uma opção, com elas é possível estabelecer uma relação descontraída com o público. Monte um calendário de conteúdo mensal, com o planejamento dos posts diários para engajar seu público em torno da sua marca. Você pode separar cada dia da semana para falar sobre um assunto diferente, e não apenas postando propagandas, sem o mínimo de comprometimento.

Além de ações que tragam os clientes até o seu negócio, é importante pensar na imagem que eles terão ao adentrar nele. As gôndolas e prateleiras não podem parecer simples expositores de produtos, e sim uma experiência visual para o cliente. Você pode criar degradês de cores, ondas de movimento ao brincar com os diferentes tamanhos das embalagens e formas dos produtos.

O que é consultoria empresarial?

Em que momento a terceirização se faz necessária dentro de uma empresa? Entenda.

Não é segredo para nenhum empresário que uma boa gestão garante ao empreendimento uma estrutura sólida no mercado e diante das crises e adversidades que toda empresa passa. Contudo, também é essencial dar atenção à realização do serviço, atendimento aos clientes, qualidade do produto ou serviço, e outros fatores, que também garantem que a empresa continue ativa.

Mas é muito comum que os sócios, principalmente de empresas pequenas, se dediquem à administração do negócio e deixem todos os outros fatores de lado. Assim, o tempo fica curto para fazer tudo de maneira apropriada, caindo a produtividade e consequentemente os lucros. E uma das saídas encontradas para solucionar este problema é a terceirização, trabalhando com parceiros qualificados a empresa tem a oportunidade de acompanhar mais de perto as atividades, além de poder otimizar processos, e os empresários podem se dedicar a outros objetivos e atribuições.

Outros casos

O tema da terceirização abrange não só as empresas que optam por adotar essa modalidade de serviço para suprir demandas, há também as que baseiam seu negócio em serem terceirizados. É o caso das empresas especializadas na terceirização de alimentos, produtos e serviços, que suprem a demanda dos empreendimentos que optam por recorrer a essa modalidade. E mesmo esses negócios às vezes sentem a necessidade de se dedicaram a uma só atividade, é o caso da Mix Nutri, especializada em suplementos alimentares.

Inicialmente a empresa fazia a terceirização dos produtos, no entanto houve uma divisão e um outro empreendimento assumiu essa tarefa. É o que explica o diretor executivo Danilson Charro “A divisão dos negócios foi determinante para que a Área comercial pudesse dar foco para cada negócio de forma isolada, as tratativas e os entendimentos eram conflitantes”. Hoje é a fábrica de suplementos DR IND a responsável pelo setor de terceirização de alimentos.

Mas e os clientes, será que eles não podem ficar confusos com esse tipo de divisão? Danilson garante que não “O entendimento e a comunicação não faz transparecer essa leitura, a Mix Nutri é vista como uma empresa terceirizada que possui a qualidade da DR IND, empresa que contém vários cases de sucesso com empresas nacionais e internacionais”.

Essas são decisões que precisam ser tomadas com cautela e analisando bem o formato e as atividades que a empresa desempenha para que não sejam criados problemas para as empresas e seus funcionários.

Novas regras para desistência de imóveis

Governo estuda nova medida provisória que pode prejudicar o consumidor

Muitas vezes investir em um imóvel sem o devido planejamento se torna um peso no orçamento, ou mesmo problemas com a construtora faz com que o comprador desista da compra, e esse processo é conhecido como distrato de imóveis.

Todas as consequências da desistência na negociação de um imóvel devem ser definidas em um contrato, com cláusulas exclusivas para quem compra e para quem vende. Inúmeros são os motivos para que ocorra uma quebra de contrato, e a rescisão indica se o comprador perderá o montante e pagará multas contratuais ou se receberá os valores com direito a indenização.

A nova medida provisória apresentada pelo Governo cria regras para quando o comprador desiste de um imóvel na planta, ou em construção. E esse assunto tem levantado debates sobre o lado negativo dessa decisão, tanto entre os especialistas, como entre os consumidores, pois é uma medida que pode complicar a situação desses compradores.

A crise econômica fez com que o número de distratos crescesse no país, e por esse motivo os ministérios do Planejamento, da Fazenda, da Justiça e da Casa Civil decidiram discutir sobre esse tema. Segundo dados da Ademi-RJ (Associação de Dirigentes do Mercado Imobiliário do Rio), entre 2014 e 2016, ocorreram uma média de 137 mil quebras de contrato no Brasil. Muitos casos vão parar na justiça, pois na lei, se tratando de desistência, não há regras definidas quanto ao reembolso ao consumidor.

Atualmente o mutuário deve ter ciência sobre o valor de entrada estipulado no contrato, pois esse pode ser o mecanismo indenizatório na maioria dos casos, o que evita que as partes tenham que enfrentar a burocracia da Justiça para resolver o problema. Se o comprador desiste do imóvel por arrependimento ou furo no orçamento, as consequências podem variar desde a perda de parte ou totalidade dos valores pagos à multa.

No contrato deve estar presente o pagamento da multa, que varia entre 10% a 20% sobre o valor gasto até a data do distrato. Valores cobrados acima desse numero ou calculadas com base no preço do imóvel podem ser questionados na Justiça. Mas caso a desistência seja ocasionada pela empresa, o mutuário não precisa pagar a multa e ainda pode recorrer a uma indenização.

A medida provisória, discutida pelo Governo, pressupõe que haja uma punição mais rigorosa para o mutuário que desistir do contrato. Essa nova minuta propõe que seja retido até 50% dos valores pagos, ou seja, isso indica até 16% do valor do imóvel com o percentual de corretagem já incluso, no caso das unidades residenciais. Também está em discussão a permissão para que o incorporador devolva o dinheiro ao consumidor em um prazo de 180 dias ou até que imóvel seja vendido.

Existe uma lei específica para o tema tramitando no Congresso desde 2015, e vem sendo discutida para se adequar ao Código de Defesa do Consumidor. Essa medida provisória tende a barrar a construção da mesma e desconsidera a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça que considera abusiva retenções acima dos 25% do total pago pelo comprador.

3 vantagens e 1 desvantagem de trabalhar com consultoria

Mais importante do que se sentir prestigiado, a profissão do consultor engloba quem gosta de dinamismo, trabalho com estratégia e resolução de problemas. Porém, como em todas as profissões, tem seus prós e contras. Confira 5 vantagens e 1 desvantagem de ser consultor:

VANTAGENS

Dinamismo

Em consultoria, você está sempre em contato com diversas coisas diferentes. Seu dia será todo programado por você, e além disso, você poderá conhecer pessoas diferentes o tempo todo, além de ter uma rotina muito dinâmica e nada monótona, pois não irá ficar trancado dentro de um escritório olhando para uma tela. Esse dinamismo é o que atrai a maioria dos profissionais em primeiro lugar.

Tempo e organização da rotina

O consultor consegue atuar em sua própria agenda, e isso é muito importante caso ele queira fazer novos cursos e adquirir mais conhecimento, mesmo que cursos de gestão rápidos, principalmente no âmbito da qualificação profissional, ou até uma pós-graduação menos imediata. Trabalhar uma parte home office e outra visitando clientes também é uma grande vantagem.

Aprendizado

O consultor aprende muito pois consegue transitar entre vários tipos de público e empresas, sempre como alguém que está ali para ajudar. Nisso ele acaba aprendendo outros conhecimentos muito diferentes, enriquecendo sua bagagem tanto cultural e social quanto profissional.

DESVANTAGEM

Passar muito tempo fora de casa

Isso pode ser uma grande desvantagem para algumas pessoas, e até vantagem para outras, mas o fato é que o consultor realmente viaja muito e fica muito tempo fora. Muitas pessoas vão gostar de conhecerem lugares novos, mas fazer isso sempre, o tempo todo, pode ser cansativo.