Arquivo da categoria: Empreendedorismo

Como fidelizar clientes com uma boa gestão

O bem mais precioso de uma empresa é o cliente fiel. Não importa o tamanho dessa empresa, seja pequena ou uma multinacional, sem os clientes ela não se sustenta e todos os esforços para garantir a manutenção de clientes satisfeitos são válidos.

Clientes fidelizados ajudam a empresa não só movimentando o caixa, mas também (para não dizer principalmente) influenciando novos clientes a comprarem determinados produtos ou serviços das empresas as quais confiam.

O foco na conquista de novos clientes costuma ser tão intenso nas empresas que muitas vezes elas se esquecem da importância de trabalhar os clientes que já fazem parte da base de consumidores fieis. Conquistar novos clientes custa, em média, 5 vezes mais do que manter os clientes fiéis da empresa. Clientes fidelizados gastam cerca de 10 vezes mais do que um consumidor comum.

O processo de fidelização de clientes precisa envolver os profissionais de vendas da empresa. É um processo importante do departamento comercial que merece, inclusive, equipe exclusiva à tarefa.

A competitividade acirrada do mercado faz com que não seja suficiente apenas a oferta de produtos ou serviços de qualidade. Os clientes têm mudado de opinião sobre o que consideram excelência de atendimento e isso torna o processo mais complicado para as empresas. O diferencial está nos detalhes.

Porque investir na fidelização de clientes

Além de reduzir as despesas, a manutenção de clientes fidelizados traz inúmeros outros benefícios para as empresas, entre eles:

  • Amplia a penetração da marca através da indicação para outras pessoas;
  • Aumento no consumo e do ticket médio da empresa gerando mais lucro;
  • Redução de custos em campanhas de marketing e atração de novos clientes;
  • Possibilidade de venda de produto com valores mais altos já que o preço passa a não ser fator primordial para a compra;

As pequenas empresas ainda levam maior vantagem sobre as multinacionais, tendo a possibilidade de utilizar programas de fidelidade, que proporciona maior proximidade com os clientes. Os pequenos empreendedores têm a possibilidade de conhecer seus clientes e maior proximidade com eles.

Mas fidelizar não é apenas fazer o cliente comprar novamente na empresa. Além disso, é preciso oferecer recompensas que agregam valor aos produtos e à marca, criando um diferencial do seu negócio em relação à concorrência.

Como fidelizar os clientes

Agora você já sabe a importância de trabalhar a fidelização de seus clientes e precisa pensar em estratégias para melhorar esse relacionamento.

  1. Conheça seu cliente

A base principal para qualquer estratégia de relacionamento e fidelização de clientes é conhecê-los. Somente assim sua empresa poderá identificar quais são as melhores formas de encantar e manter os clientes próximos ao seu negócio.

Não meça esforços para conhecer as preferências e características dos clientes. É importante descobrir:

  • Quais são os valores mais importantes
  • O que eles consideram ser o diferencial da sua empresa
  • Quais meios de comunicação mais utilizados
  • Quais são as preferencias de premiação de um programa de fidelidade
  • Porque preferem a sua empresa

Essas respostas podem ser obtidas através de pesquisas de mercado, que podem ser realizadas de maneira formal ou informal.

  1. Armazene e analise as informações cadastrais dos clientes

Um sistema ERP online permite o registro de dados cadastros de clientes e a consulta sobre as preferências de compra, prazos, produtos e muitas outros dados importantes para traçar estratégias de marketing e fidelização de clientes.

Sua empresa pode ainda utilizar um programa CRM integrado que organiza as estatísticas e dá sugestões de performance para as equipes de vendas da empresa.

  1. Preocupe-se com o atendimento

O atendimento é o primeiro contato do cliente com a empresa e a equipe precisa estar treinada para fornecer um atendimento impecável. Mais uma vez é essencial conhecer os clientes para identificar o que eles consideram como qualidade de atendimento e superar suas expectativas.

É importante demonstrar comprometimento com o cliente e estar acessível para qualquer solicitação que ele possa fazer. Além disso, atendimentos rápidos que evitam filas no estabelecimentos é um diferencial, por isso, recomendamos o uso de um PDV online para que as vendas ocorram com um clique,

  1. Seja proativo e crie um programa de pós-venda

O pós-venda não significa apenas resolver problemas ou identificar a satisfação do cliente com aquela compra específica. É preciso demonstrar preocupação e o desejo de que ele retorne a efetuar compras na empresa, antecipando possíveis necessidades do cliente.

Utilizar recursos de personalização é uma ótima ideia com a oferta de produtos que possam complementar a compra já efetuada ou ainda outros que posam interessar.

A fidelização de clientes é uma prática que deve ser incentivada nas empresas. Quando ela funciona em conjunto com produtos ou serviços de qualidade e atendimento de excelência, os clientes se sentirão valorizados e darão preferência de compra para a sua empresa.

 

Descubra como o empreendedorismo pode ajudar uma cidade a se desenvolver

Você já deve ter escutado algumas pessoas dizendo as seguintes frase:

  • “Aquela cidade é tão precária que só tem um mercadinho.”
  • “ O lugar é um fim do mundo, não tem nem lanchonete.”

Isso tudo porque as pessoas associam pontos comerciais e serviços como desenvolvimento, se um lugar não tem um comercio mínimo, provavelmente ele será tratado como pequeno ou precário. Por isso, comemora-se quando um novo shopping abre numa determinada cidade ou uma grande franquia abre no local, isso é prova de que a cidade está se desenvolvendo e de “quebra” gera mais empregos e mais crescimento.

O que poucas pessoas se dão conta é que o comércio não é único tipo de desenvolvimento que uma cidade pode receber. A criação de ongs ou outras instituições de ajuda social também são uma forma de empreendedorismo e são valiosas para uma cidade.

Nos cursos de Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Local são apresentadas as diferentes formas de se gerar desenvolvimento local, como é o caso que citamos acima sobre empreendedorismo social, que faz com que um problema específico de uma região seja combatido com a implementação de um negócio que solucione o determinado problema.

Para um lugar ser considerado desenvolvido ele deve atender alguns princípios básicos para sua população, são eles:

  • a inclusão social;
  • o fortalecimento e a diversificação da economia local;
  • a inovação na gestão pública;
  • a proteção ambiental e o uso racional de recursos naturais;
  • e a mobilização social.

Se faltar um desses itens, o lugar precisa de desenvolvimento e quanto mais desenvolvimento a cada aspecto listado acima, melhor a situação desse lugar. Pode parecer uma tarefa simples, mas não é, prova disso está na quantidade de pequenas e até mesmo grandes centros que ainda precisam melhorar e muito aspectos sociais e ambientais por exemplo.

Uma outra abordagem do empreendedorismo que ajuda a desenvolver uma cidade é o empreendedorismo sustentável que faz com que a comunidade aproveite seus recursos de modo que coisas que antes eram jogadas fora, viram peças úteis e de valor financeiro.

Vale lembrar que nenhum tipo de empreendimento é simples, mas todos eles colaboram com o desenvolvimento de um local.

Saiba como montar uma loja virtual sem estoque

Este texto foi escrito por Thiago Távora, consultor de e-commerce da iSET, empresa de tecnologia que oferece como principal solução uma poderosa plataforma de e-commerce SaaS, 100% em nuvem e em formato White Label para revenda.

Atualmente, os investidores que buscam o campo virtual têm uma gama de oportunidades e facilidades à disposição. Entre elas, destaca-se o modelo de negócio de loja virtual sem estoque — que, apesar de pouco conhecido, pode trazer vantagens ao empreendimento.

Existem diferentes modalidades em que a loja pode atuar sem ter seu próprio estoque ou utilizar o de terceiros para complementar o seu. No post de hoje nós apresentaremos mais sobre o modelo, suas características, sua implementação, suas vantagens e seus desafios. Acompanhe!

Como funciona uma loja virtual sem estoque?

Para o e-commerce, em específico, algumas técnicas de gestão são mais interessantes. Vamos a elas:

Drop shipping
Nesse modelo de gestão o revendedor não tem estoque próprio e utiliza o de seus fornecedores como um Buffer Inventory (pulmão de inventário). Ele comercializa os produtos na sua loja virtual normalmente, mas o fornecedor ficará responsável por separará e enviará o pedido.

Crossdocking
É o sistema de distribuição em que a mercadoria do centro de distribuição não passa por processos de estocagem, mas pelo preparo para o processo de carregamento e envio para o cliente no menor tempo possível. Nesse modelo, os produtos partem do ponto de recebimento para a expedição ou entrega com tempo de estoque nulo ou limitado.

Vendas just in time
Esse sistema prevê a administração enxuta: nela os produtos são produzidos, transportados ou adquiridos na hora exata. No caso do e-commerce, o negócio mantém uma relação estreita com fornecedores e faz os pedidos após a compra do cliente no site.

Sobrepor cobertura de estoque
Trata-se de um indicador que aponta, em dias, a disponibilidade dos produtos em estoque para cobrir as demandas de vendas. Em outras palavras, a cobertura calcula em quantos dias o estoque pode se esgotar. A média é feita com a seguinte fórmula: cobertura = estoque / média de vendas.

Quais as vantagens desse tipo de sistema?

Oportunidade para quem tem poucos recursos
Muita gente quer montar um e-commerce mas não tem todos os recursos para começar. Uma parceria com um fornecedor que possa atendê-lo just in time ou por drop shipping reduzirá a necessidade de investimentos em estoque. Isso possibilitará economias com aluguel do armazém e demais custos operacionais.

Possibilidade de suprir as demandas
Com um fornecedor externo para suprir a demanda, o negócio pode aperfeiçoar sua estratégia e atender o cliente em qualquer situação. Isso ajudará a aumentar a satisfação deste, evitando que ele procure a concorrência.

Chance de comprar a prazo
Uma alternativa interessante é adquirir a mercadoria com o fornecedor e negociar o pagamento a prazo. Trabalhando com o “dinheiro do fornecedor”, seu empreendimento reduz a margem de investimento em mercadorias — isso viabiliza investimentos em divulgação e ferramentas de gestão.

Quais são os desafios para as lojas virtuais sem estoque?
Nem tudo são flores nesse modelo, mas os gestores podem se antecipar em relação aos possíveis entraves e desenvolver uma estratégia sólida. Vamos às sugestões:

Parceria sólida com fornecedores
Principalmente nas vendas a prazo, é preciso criar uma parceria baseada na confiança, uma vez que ambas as partes ganham com a relação. Nem todos os fornecedores vendem sem garantia e nem todos podem entregar a encomenda no prazo que a internet exige. Assim, é essencial aprofundar a relação e criar um laço de confiança duradouro.

Atender às expectativas do consumidor
Nem sempre o e-commerce poderá saber como o produto chegou na casa do comprador e, por isso, é importante conhecer o modus operandi do fornecedor. Nesse tipo de comércio, nem sempre os preços são as únicas coisas avaliadas pelo consumidor — por isso é importante avaliar se os processos do fornecedor são eficientes e conseguem atender às suas demandas.

Como mencionamos, a proposta de ter uma loja virtual sem estoque funciona, mas é preciso contar com processos estreitos, que prezam pela agilidade e pela satisfação do cliente. Também é preciso colocar tudo “na ponta do lápis” para avaliar se a margem de lucro consegue sustentar o negócio. No mais, boas vendas!

Gostou do que leu? Aproveite e veja este artigo que trata especificamente de dropshipping e suas vantagens. Até breve!

 

Como ter o controle financeiro da sua empresa

Toda empresa deve se preocupar com o setor financeiro, afinal se um negócio não gerar lucro qual o sentido de mantê-lo? Mas essa não é uma tarefa fácil, os empresários e gestores devem estar sempre atentos na busca constante por estratégias que ajudem a controlar os gastos, investimentos, lucros e prejuízos.

No post de hoje vamos falar de algumas ferramentas que podem facilitar na hora de fazer esse controle financeiro. Vamos lá?

Plano de negócios

Não importa o porte da sua empresa, o começo da sua estratégia financeira começa no plano de negócios. É ele quem vai conduzir o negócio para o caminho certo e mostrar as saídas se caso dê errado. Planejamento é a palavra de ordem, você precisa dele para ter as contas em dia e detalhar as ações que envolvem dinheiro. Uma empresa sem planejamento tem muito mais chances de fracassar.

Controle do fluxo de caixa

Ele se baseia na precisão que você vai ter em fiscalizar as entradas e saídas e não dar brechas para erros. É muito importante colocar os valores exatos, itens extras, e pensar com cuidado em cada demanda que surgir ao longo do caminho. Essa revisão nos gastos pode ser feita todos os dias, mensalmente, semanalmente ou de 15 em 15 dias, isso vai variar de acordo com o tamanho da sua empresa e do fluxo dos negócios.

Acertando os valores do seu produto ou serviço

Colocar preço nas coisas não é uma tarefa fácil, você deve fazer um estudo de viabilidade do que está vendendo para pode chegar a um valor ideal. Também é importante ver a aceitação desse produto ou serviço no mercado, o perfil do cliente em potencial, a margem de lucro e concorrência.

Ferramentas de gestão

A tecnologia é uma ajuda válida na hora de controlar o setor financeiro de uma empresa. Existem softwares de gestão que facilitam o processo, armazenando em um só local todas as informações financeiras, deixando de lado as várias planilhas e papéis, e é uma forma segura de ter seus dados salvos. Sem contar a possibilidade de acesso de qualquer lugar que você esteja.

Seguindo essas dicas o seu controle financeiro empresarial será muito melhor e você poderá minimizar os prejuízos. Invista nesse campo e o seu retorno será garantido!

Notas de dinheiro estrangeiro para comprar franquias

Investimento com segurança: Franquias crescem e apresentam sucesso nos negócios

O setor de franquias apresentou um lucro de R$ 37,6 bilhões no segundo trimestre de 2017

Cada vez mais, o segmento de franquias está crescendo no país. Inovação, compartilhamento, modelo de negócios estruturado e crescimento coletivo são uns dos pontos que trazem muitas vantagens. E cada vez mais empreendedores interessados em investir no novo plano. De acordo com Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor faturou R$ 35,2 bilhões no segundo trimestre de 2016. Este ano, o faturamento chegou a R$ 37,6 bilhões, 6,8% a mais em relação ao mesmo período.

Os segmentos que mais registraram aumento na receita trimestral e impactaram no lucro das franquias foram:

  • hotelaria e turismo (crescimento de 10,1%)
  • saúde, beleza e bem-estar (9,4%)
  • casa e construção (8,6%)
  • entretenimento e lazer (7%)
  • comunicação, informática e eletrônicos (6,6%)

Mesmo em tempos de crise, os resultados indicam a qualidade do modelo para quem deseja iniciar ou expandir seu negócio.

Confira também esta especialista em franchising, que fala as franquias que são tendência para 2017:

De acordo com o diretor de Relacionamento e Mercado da ABF para a Agência Brasil, Cláudio Tieghi:

“O setor de franquias cresce apesar da dificuldade da crise e apresenta a capacidade do brasileiro de ser um empreendedor”

As vantagens estão na consolidação do negócio em relação a um investimento novo, que ainda não foi desenvolvido.  

O brasileiro empreende cada vez mais

“Se você pegar a série histórica, [a taxa de empreendedorismo] cresce ano a ano. Mostra uma tendência de aumento da propensão do brasileiro para se tornar empreendedor. Quando veio a crise no ano passado isso continuou, com uma coloração mais forte em termos de necessidade”, afirma. Segundo ele, o modelo de franquia tem vantagens e desvantagens. “A principal vantagem é que você recebe um negócio praticamente pronto. O risco tende a ser um pouco menor”, comenta.

Antes visto como uma aquisição de grande necessidade de capital, as franquias já apresentam investimentos menores e mais acessíveis para investir. As microfranquias avançam como alternativa, com investimento inicial pequeno, de até R$ 80 mil. A microfranquia apresenta como vantagem não apenas o baixo investimento, como também a possibilidade, em alguns casos, de trabalhar dentro de casa – diminuindo os custos de uma empresa com sede, necessidades de contratação e outros gastos. Pode ser aumentada, a partir dos ganhos, e também permitir outras microfranquias.

Segundo o diretor de Relacionamento e Mercado da ABF, Cláudio Tieghi, “a microfranquia é uma opção para pessoas com perfil técnico ou de gerente. Ela se equipara a uma oportunidade de substituição do emprego. Em vez de estar em uma empresa trabalhando, [o franqueado] pode desempenhar essas funções em casa. Ele pode também projetar e sair da realidade de microfranquia. Pode ter várias unidades no país ou migrar para uma franquia tradicional”, afirma.

Entrevista com Especialista em Franquias

Em entrevista ao Sebrae MS, o presidente do grupo Zaiom, Arthur Hipólito, falou sobre a importância de gerenciar o sistema de franquias para gerar lucros e também expandir o próprio negócio.

De acordo com ele, antes de mais nada, o empresário precisa se identificar com o negócio para um possível investimento, mas ao mesmo tempo, manter cautela em relação à demanda financeira exigida. “Ter uma identidade com o trabalho, depois avaliar o perfil do investimento que você vai ter que fazer, pois mesmo sendo um investimento pequeno é necessário ter uma reserva, uma forma de suportar os gastos”, explica.

Arthur Hipólito - Grupo Zaiom - Franquias Home-Based
Arthur Hipólito – Presidente do Grupo Zaiom

Entre vantagens e desvantagens, é sempre necessário frisar: como todo negócio, a microfranquia precisa de dedicação e disposição, já que a capacitação e o trabalho duro são essenciais para permitir que a empresa siga com lucros. “O que é mandatório na microfranquia é o total envolvimento da pessoa. Ela vai passar a fazer o trabalho em modalidade empreendedora. Muitas vezes nem tem funcionários ou tem poucos. A microfranquia é um negócio enxuto”, explica o diretor.

Investir em uma franquia por um sistema home-based, isto é, que você pode montar em casa, pode ser uma boa opção para quem quer começar um negócio. Investimentos de até 20 mil reais estão disponíveis para quem deseja uma opção barata de franqueamento, em áreas como viagem e turismo, limpeza e conservação, serviços gerais, saúde e bem-estar e alimentação. É importante, para o franqueado, a identificação com a área e com o tipo de negócio a ser investido.

Educação Empreendedora

O presidente Arthur Hipólito ressaltou ao Sebrae MS a necessidade do aprimoramento contínuo tanto para o empreendedor quanto para a empresa. “O pequeno empreendedor tem que ter a visão de que sua empresa é uma escola, se ele tiver essa visão ele vai para empresa com disposição pra aprender, melhorar suas falhas e crescer”, afirma.

Curiosidades sobre o setor de franquias

Como aumentar o mix de produtos da sua loja pode ser vantajoso!

O mercado de produtos naturais pode ser um novato no mundo dos negócios, porém é um segmento muito promissor. No ano passado segundo uma pesquisa da Euromonitor Internacional, o mercado brasileiro de alimentos e bebidas saudáveis faturou cerca de R$ 93,6 bilhões em vendas, o que colocou o país no ranking dos gigantes do setor.

A crise passa mesmo longe desse setor, nos últimos cinco anos as vendas avançaram em uma média de 12,3% ano ano, enquanto nos outros países o percentual ficou em torno de 8%. E a previsão é de que, até 2021, o crescimento seja de 4,4% por ano. Mas não são somente os números de faturamento que mostram o potencial do setor, os que se referem ao interesse dos brasileiros em se alimentar melhor também chamam a atenção.

O relatório Tendências Mundiais de Alimentação e Bebidas 2017, elaborado pela Mintel, mostrou que quatro em cada cinco brasileiros se dispõem a pagar mais caro num produto que tenha maior valor nutricional. 79% dos entrevistados afirmaram que em sua alimentação já substituem produtor convencionais por outros mais saudáveis.

E não foi só os proprietários de lojas especializadas que notaram uma maior procura, os donos de restaurantes, bares e lanchonetes também perceberam as novas exigência dos consumidores. O fato é comprovado pela pesquisa do Instituto Datafolha para a Assert, entre os quase 5 mil entrevistados, 53% disseram que puderam ver um aumento na procura por frutas, 61% observaram que seus clientes estavam comendo mais verduras e legumes e 65% notou o crescimento do consumo de sucos naturais.

Com o setor aquecido, surgem novas oportunidades

As lojas especializadas na venda de produtos naturais, normalmente, se dividem em dois tipos, as que vendem alimentos orgânicos apenas e as que investem em produtos processados mas com baixo valor calórico, sem glúten ou lactose, etc. Mas a gama de produtos que esses estabelecimentos podem oferecer é muito diversificada, e aumentando a variedade no seu negócio pode ser que as vendas também aumentem.

Uma forte tendência nesse setor são os suplementos e alimentos funcionais, normalmente procurados por pessoas que praticam atividade física regularmente. Apostar nesses produtos é conquistar um público cada vez mais crescente, o setor fitness chegou a apresentar um aumento de 22% no faturamento no ano passado segundo relatório da Pluri Consultoria.

Dicas de como conquistar seu cliente

Primeiramente é extremamente importante que você conheça seu negócio a fundo, todos os processos e funcionamento. A decisão de expandir seu ramo de atuação e gama de produtos já demonstra uma maturidade e maior entendimento do seu empreendimento, mas algumas dicas simples são válidas para fazer com que obtenha sucesso.

Aumentar a variedade de produtos de sua loja não fará os novos clientes virem naturalmente, é importante que você reserve um tempo de sua rotina de trabalho para pensar estratégias de chegar até esses clientes.

Se não tiver ainda canais de comunicação com seus clientes, é hora de criá-los! As redes sociais são uma opção, com elas é possível estabelecer uma relação descontraída com o público. Monte um calendário de conteúdo mensal, com o planejamento dos posts diários para engajar seu público em torno da sua marca. Você pode separar cada dia da semana para falar sobre um assunto diferente, e não apenas postando propagandas, sem o mínimo de comprometimento.

Além de ações que tragam os clientes até o seu negócio, é importante pensar na imagem que eles terão ao adentrar nele. As gôndolas e prateleiras não podem parecer simples expositores de produtos, e sim uma experiência visual para o cliente. Você pode criar degradês de cores, ondas de movimento ao brincar com os diferentes tamanhos das embalagens e formas dos produtos.

Saiba como administrar sua loja virtual e fazer seu negócio dar certo

O número de criação de sites para lojas virtuais cresce a cada dia, isso por conta da expansão do acesso a internet no mundo todo. Porém, das lojas que são iniciadas, poucas duram mais de um ano, isso quando também não conseguem lucrar com as vendas online.

Um dos principais fatores que influenciam essa realidade é a falta de conhecimento dos lojistas em relação a gestão de negócios. A maioria das pessoas tem grandes ideias para ganhar dinheiro na internet. Mas o que elas nunca se atentam é como administrar uma loja virtual.

Como tudo na vida, para criar um site e administrá-lo é preciso planejamento e tempo. Para estar à frente de um negócio virtual é preciso ser multitarefa, desde a busca pelo público alvo até a garantia que ele terá uma boa experiência de compra e entrega.

Para que todo o processo ocorra sem muitos erros é preciso muita organização para manter o controle de cada passo. É preciso sempre estar atento aos detalhes. Como o estoque, processamento de pagamentos, sem contar a burocracia inicial.

Verifique seus resultados

Existem vários indicadores para saber se uma  loja virtual vai bem, por isso é importante mapear o número de visitas, o tempo médio de dos acessos, as páginas mais visitadas, os termos mais procurados. Toda informação pode ser útil para ajudar no direcionamento de gestão.

Outro fator indispensável para um bom crescimento do negócio é fazer um planejamento das despesas e receitas. É preciso manter o controle do fluxo de caixa para que não fique no vermelho. Tenha sempre em mente que é preciso vender bem, e isso não significa em quantidade, mas sim qualidade.

O bom fluxo de uma loja virtual depende também de bons fornecedores. Por isso busque referências. Não feche contratos muito longos no inicio e faça um período de experiencia, e tenha sempre mais de uma opção. Seja precavido e não dependa só dos Correios ou de uma única transportadora, pois podem haver falhas e atrasos em algum momento, pense em todas as alternativas possíveis para não ficar na mão.

Criar um site é um passo importante no seu negócio

Para um constante crescimento tenha uma relação direta com seu consumidor. Busque por meio de avaliações, saber sobre o atendimento, preço, concorrência, facilidade de busca e entrega da própria loja. Com a opinião dos clientes é possível saber quais os erros e acertos ha na gestão.

Técnicas de estudo: Porque investir em aulas de inglês personalizadas

Técnicas de estudo:  Porque investir em aulas de inglês personalizadas

Aprender outro idioma leva tempo e muitas vezes durante essa etapas é comum faltar ânimo. Há quem desista depois de um tempo por sentir dificuldade, e por conta daquele medo de nunca ser realmente fluente na língua inglesa.  O processo tende a ser longo e muitas vezes maçantes, com aulas que são dadas no mesmo padrão por um longo período.

Por isso empresas veem investindo em métodos de aprendizagem diferentes, com aulas personalizadas. Que atendam a expectativa dos alunos e não deixam a rotina de estudos cair na mesmice. Essas aulas podem ser customizadas conforme a necessidade do cliente. Há escolas que atendem nos finais de semana e horários alternativos como depois das 21 horas. Atender a necessidade de uma pequena gama de clientes pode ser mais vantajoso que encher uma sala de aula e aplicar aulas maçantes, onde vários alunos ficarão desmotivados com o passar o tempo e podem até abandonar o curso.  Por isso é essencial o aluno não se deixar cair numa rotina dessas, muitas vezes o problema não está na aprendizagem do aluno, e sim no ambiente onde ocorre essa aprendizagem.

Técnicas de estudo:  Porque investir em aulas de inglês personalizadas

Você pode utilizar alguns itens das nossas técnicas de estudo abaixo para quebrar o gelo dessas aulas frias e sem graças:

  • Busque outros conteúdos, não se apegue apenas no material fornecido pelo eu curso;
  • Tenha a língua inglesa no seu dia-a-dia, é possível ter um bom contato através de filmes e séries. Você também pode traduzir suas músicas preferidas e tentar canta-las;
  • Se imagine falando inglês, ver o objetivo final ajudará você a não se decepcionar com a sua aprendizagem;
  • Tenha paciência, observe se você tem evoluído ao passar dos mês. Rever o que aprendeu é importante para não desanimar;
  • Não fique dependente apenas do seu curso de inglês, seja curioso e assistas aulas online e procure dicas e sites sobre o conteúdo que está aprendendo;
  • Estude diariamente, é valido estudar pelo menos meia hora por dia, do que tirar apenas um dia por semana para estudar duas horas e meia;
  • Tenha pequenos diálogos em inglês, nem seja conversando sozinho;
  • Experimente trocar de curso antes de desistir de vez de estudar a língua inglesa, as vezes a mudança te anima de novo. Quem sabe um método de estudo diferente seja mais eficaz.

3

Se nenhuma dessas ideias for realmente eficaz para a sua aprendizagem nossa dica é procurar uma escola de idioma que oferece cursos de inglês personalizados conforme a necessidade do aluno. A Inglês Jundiaí por exemplo, oferece aulas particulares de inglês com conteúdo diferenciado. Lá o objetivo do aluno também vira tema para as aulas. A Inglês Jundiaí oferece aulas de inglês para viagens, onde você pode personalizar conforme destino escolhido. Há aulas para quem deseja viajar para Nova York, Orlando entre outros. Também há cursos que são customizados conforme a profissão no aluno, eles oferecem conteúdo personalizado para profissionais de Ti, marketing e inglês para negócios para executivos, há também aulas de português para estrangeiros.

Dicas para abrir um restaurante inovador

 

Dicas para abrir um restaurante inovador: decoração

O ramo da alimentação fora do lar é um dos que mais se desenvolve no Brasil, característica que há algum tempo deixou de ser exclusividade das grandes cidades. Enquanto polos como São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e Curitiba ditam tendências trazidas dos EUA e Europa, as cidades menores aproveitam esses ecos e popularizam ainda mais os formatos. Exemplo claro disso são as temakerias, os cafés e as paletas mexicanas.

Primeiro pipocaram nos instagram de blogueiros e celebridades de São Paulo e Rio, depois apareçam em tudo quanto é canto. O investidor precisa analisar se é apenas moda ou pode ser um comportamento perene do mercado antes de embarcar em uma ideia.

Dicas para abrir um restaurante inovador: estilo

Segundo o Sebrae/MS, Campo Grande já não comporta mais novos cafés ou temakerias, tamanho é o volume de novas empresas que abrem com a mesma proposta. Recentemente, com a chegada do Outback, o padrão de restaurantes tende a melhorar na capital sul-mato-grossense. Não, por acaso, outras marcas estão com mais opções ao consumidor: Imakay – que inaugurou em frente ao Outback, que mistura a gastronomia peruana com a japonesa, e o Valley Tai, que traz a alta gastronomia tailandesa à Campo Grande.

Quero dizer é que tem espaço para mais restaurantes e lanchonetes, desde que seja algo inovador e que haja público para consumi-lo. Nas cidades grandes, é mais fácil encontrar um público que justifique a existência da empresa, agora em cidades menores abrir uma lanchonete em que o foco seja a pipoca gourmet, é arriscado dizer que vai dar certo.

Dicas para abrir um restaurante inovador: inusitado

A franquia de restaurante Lagoa da Prata encontrou na tilápia sua matéria-prima e diferencial. Com restaurantes Campo Grande MS e Três Lagoas, a marca tem em seus pratos tilápia como base. Frito e recheado com provolone ou à moda da casa, o peixe que é conhecido pelo sabor e pela pouca quantidade de espinhas, ganhou o paladar brasileiro.

Se não pretende inovar em novos sabores, apenas mudar o formato já pode atrair consumidores. Seja um rodízio de mini-lanches ou um restaurante temático, como o fast food Biribildu Souvlaki, localizado em Atenas, Grécia. Música e ambiente remetem ao circo e o tornam único talvez não nos produtos, mas na maneira em que são apresentados.

E só lembrando, ao montar um restaurante temático lembre-se que o cliente quer uma imersão na sua proposta, então nada de tocar axé em um restaurante português. #ficadica

Conheça três das ferramentas de gestão mais úteis e populares no mundo todo

Ferramentas de gestão: conheça as melhores

Se você é empresário, gestor, ou administrador de empresas, muito provavelmente sente ou já sentiu a necessidade de fazer ajustes e implantar melhorias na gestão do seu negócio, não é mesmo?

Nessas horas, sempre surge sempre uma pergunta em comum: quais as melhores ferramentas de gestão para utilizar nessa busca por qualidade?

Com a evolução do mercado de negócios e das técnicas de administração, nos últimos anos a importância das ferramentas de gestão se evidenciou ainda mais no cotidiano das empresas, que através delas conseguem entender melhor seus negócios, seus processos e o próprio ramo do mercado em que atuam, obtendo informações preciosas para a definição de objetivos e a montagem do planejamento estratégico.

A seguir você conhecerá três das ferramentas de gestão mais utilizadas no mundo todo e um breve resumo sobre cada uma delas.

Workflow: a união entre tecnologia da informação e processos de negócio

O que é workflow e qual a sua utilidade como ferramenta de gestão?

Basicamente, workflow é a automação dos processos de negócio das empresas, que com ele passam a ter um fluxo de trabalho com documentos, informações e tarefas passando de funcionário para funcionário segundo uma hierarquia bem estruturada e dinâmica.

Antigamente, a gestão do workflow era feita de forma manual, mas com o avanço da tecnologia, nos dias atuais essa automação de processos é quase toda executada em sistemas de TI.

O workflow ajuda as empresas a obterem um planejamento metódico e um melhor controle de suas atividades, tornando a comunicação entre departamentos mais eficiente, eliminando gargalos indesejados e reduzindo custos.

Ciclo PDCA, um grande aliado na gestão de melhoria contínua

O que é ciclo PDCA?

O ciclo PDCA é muito utilizado por empresas do mundo, sempre com o intuito de melhorarem continuamente seus níveis de gestão através da padronização de informações e do controle eficiente de processos internos e externos.

Criado na década de 20 por Walter Andrew Shewart e popularizado trinta anos depois por William Edwards Deming, o ciclo PDCA é uma ferramenta de gestão comumente aplicada quando se faz necessária a orientação, preparação, execução e avaliação de atividades previamente planejadas, sempre visando o melhor desenvolvimento e os melhores resultados.

O ciclo PDCA é assim chamado devido ao nome em inglês de cada uma das etapas que o compõem:

  • P: do verbo “Plan”, ou planejar.
  • D: do verbo “Do”, fazer ou executar.
  • C: do verbo “Check”, checar, analisar ou verificar.
  • A: do verbo “Action”, agir de forma a corrigir eventuais erros ou falhas.

Faça um plano de ação simples, qualificado e bem estruturado utilizando a matriz 5W2H

A matriz 5W2H pode ser considerada como um paradoxo, pois ao mesmo tempo em que é uma das ferramentas de gestão mais eficientes, é também uma das mais fáceis e práticas. Ela se diferencia por facilitar muito a vida de alguém que deseje montar um plano de ação que seja simples e ao mesmo tempo eficiente.

Ela é identificada como 5W2H para simplificar os critérios e procedimentos de cada uma das etapas que a compõem. Confira a seguir:

  • What? (O que será feito?)
  • Why? (Por que será feito?)
  • Where? (Onde será feito?)
  • When? (Quando será feito?)
  • Who? (Por quem será feito?)
  • How? (Como será feito?)
  • How much? (Quanto custará fazer?)

A resposta para cada questionamento da matriz 5W2H leva diretamente à pergunta seguinte, até que se encerre o planejamento.

Por Daniel Belalian