Arquivo da tag: negócios

Descubra como o empreendedorismo pode ajudar uma cidade a se desenvolver

Você já deve ter escutado algumas pessoas dizendo as seguintes frase:

  • “Aquela cidade é tão precária que só tem um mercadinho.”
  • “ O lugar é um fim do mundo, não tem nem lanchonete.”

Isso tudo porque as pessoas associam pontos comerciais e serviços como desenvolvimento, se um lugar não tem um comercio mínimo, provavelmente ele será tratado como pequeno ou precário. Por isso, comemora-se quando um novo shopping abre numa determinada cidade ou uma grande franquia abre no local, isso é prova de que a cidade está se desenvolvendo e de “quebra” gera mais empregos e mais crescimento.

O que poucas pessoas se dão conta é que o comércio não é único tipo de desenvolvimento que uma cidade pode receber. A criação de ongs ou outras instituições de ajuda social também são uma forma de empreendedorismo e são valiosas para uma cidade.

Nos cursos de Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Local são apresentadas as diferentes formas de se gerar desenvolvimento local, como é o caso que citamos acima sobre empreendedorismo social, que faz com que um problema específico de uma região seja combatido com a implementação de um negócio que solucione o determinado problema.

Para um lugar ser considerado desenvolvido ele deve atender alguns princípios básicos para sua população, são eles:

  • a inclusão social;
  • o fortalecimento e a diversificação da economia local;
  • a inovação na gestão pública;
  • a proteção ambiental e o uso racional de recursos naturais;
  • e a mobilização social.

Se faltar um desses itens, o lugar precisa de desenvolvimento e quanto mais desenvolvimento a cada aspecto listado acima, melhor a situação desse lugar. Pode parecer uma tarefa simples, mas não é, prova disso está na quantidade de pequenas e até mesmo grandes centros que ainda precisam melhorar e muito aspectos sociais e ambientais por exemplo.

Uma outra abordagem do empreendedorismo que ajuda a desenvolver uma cidade é o empreendedorismo sustentável que faz com que a comunidade aproveite seus recursos de modo que coisas que antes eram jogadas fora, viram peças úteis e de valor financeiro.

Vale lembrar que nenhum tipo de empreendimento é simples, mas todos eles colaboram com o desenvolvimento de um local.

Saiba como montar uma loja virtual sem estoque

Este texto foi escrito por Thiago Távora, consultor de e-commerce da iSET, empresa de tecnologia que oferece como principal solução uma poderosa plataforma de e-commerce SaaS, 100% em nuvem e em formato White Label para revenda.

Atualmente, os investidores que buscam o campo virtual têm uma gama de oportunidades e facilidades à disposição. Entre elas, destaca-se o modelo de negócio de loja virtual sem estoque — que, apesar de pouco conhecido, pode trazer vantagens ao empreendimento.

Existem diferentes modalidades em que a loja pode atuar sem ter seu próprio estoque ou utilizar o de terceiros para complementar o seu. No post de hoje nós apresentaremos mais sobre o modelo, suas características, sua implementação, suas vantagens e seus desafios. Acompanhe!

Como funciona uma loja virtual sem estoque?

Para o e-commerce, em específico, algumas técnicas de gestão são mais interessantes. Vamos a elas:

Drop shipping
Nesse modelo de gestão o revendedor não tem estoque próprio e utiliza o de seus fornecedores como um Buffer Inventory (pulmão de inventário). Ele comercializa os produtos na sua loja virtual normalmente, mas o fornecedor ficará responsável por separará e enviará o pedido.

Crossdocking
É o sistema de distribuição em que a mercadoria do centro de distribuição não passa por processos de estocagem, mas pelo preparo para o processo de carregamento e envio para o cliente no menor tempo possível. Nesse modelo, os produtos partem do ponto de recebimento para a expedição ou entrega com tempo de estoque nulo ou limitado.

Vendas just in time
Esse sistema prevê a administração enxuta: nela os produtos são produzidos, transportados ou adquiridos na hora exata. No caso do e-commerce, o negócio mantém uma relação estreita com fornecedores e faz os pedidos após a compra do cliente no site.

Sobrepor cobertura de estoque
Trata-se de um indicador que aponta, em dias, a disponibilidade dos produtos em estoque para cobrir as demandas de vendas. Em outras palavras, a cobertura calcula em quantos dias o estoque pode se esgotar. A média é feita com a seguinte fórmula: cobertura = estoque / média de vendas.

Quais as vantagens desse tipo de sistema?

Oportunidade para quem tem poucos recursos
Muita gente quer montar um e-commerce mas não tem todos os recursos para começar. Uma parceria com um fornecedor que possa atendê-lo just in time ou por drop shipping reduzirá a necessidade de investimentos em estoque. Isso possibilitará economias com aluguel do armazém e demais custos operacionais.

Possibilidade de suprir as demandas
Com um fornecedor externo para suprir a demanda, o negócio pode aperfeiçoar sua estratégia e atender o cliente em qualquer situação. Isso ajudará a aumentar a satisfação deste, evitando que ele procure a concorrência.

Chance de comprar a prazo
Uma alternativa interessante é adquirir a mercadoria com o fornecedor e negociar o pagamento a prazo. Trabalhando com o “dinheiro do fornecedor”, seu empreendimento reduz a margem de investimento em mercadorias — isso viabiliza investimentos em divulgação e ferramentas de gestão.

Quais são os desafios para as lojas virtuais sem estoque?
Nem tudo são flores nesse modelo, mas os gestores podem se antecipar em relação aos possíveis entraves e desenvolver uma estratégia sólida. Vamos às sugestões:

Parceria sólida com fornecedores
Principalmente nas vendas a prazo, é preciso criar uma parceria baseada na confiança, uma vez que ambas as partes ganham com a relação. Nem todos os fornecedores vendem sem garantia e nem todos podem entregar a encomenda no prazo que a internet exige. Assim, é essencial aprofundar a relação e criar um laço de confiança duradouro.

Atender às expectativas do consumidor
Nem sempre o e-commerce poderá saber como o produto chegou na casa do comprador e, por isso, é importante conhecer o modus operandi do fornecedor. Nesse tipo de comércio, nem sempre os preços são as únicas coisas avaliadas pelo consumidor — por isso é importante avaliar se os processos do fornecedor são eficientes e conseguem atender às suas demandas.

Como mencionamos, a proposta de ter uma loja virtual sem estoque funciona, mas é preciso contar com processos estreitos, que prezam pela agilidade e pela satisfação do cliente. Também é preciso colocar tudo “na ponta do lápis” para avaliar se a margem de lucro consegue sustentar o negócio. No mais, boas vendas!

Gostou do que leu? Aproveite e veja este artigo que trata especificamente de dropshipping e suas vantagens. Até breve!

 

Quais as principais características da logística

Estamos inseridos em uma realidade de mercado extremamente competitivo, dinâmico e que exige inovação constante por parte das empresas. É preciso sempre estar atento a redução de custos, melhoria das técnicas e estratégias para maior lucro, e quando se trata de logística tudo fica ainda mais concorrido.

No post de hoje vamos mostrar os pilares básicos desse setor, que são essenciais para o sucesso de qualquer empreendimento. Vamos lá?!

Planejamento

Para lidar com a logística você precisa de um planejamento inteligente a nível estratégico, tático e operacional.

O planejamento estratégico envolve as fábricas, centros de distribuição, localização de parceiros e fornecedores, ou seja, tudo que envolve a rede de logística do negócio. Já o planejamento tático é o que vai definir o modo de usar os recursos, para que a demanda do consumidor seja sempre atendida independente das variáveis.

E no nível operacional estão os a produção, movimentação de materiais, o sistema de frotas, etc. É aqui que os problemas de quebra de equipamentos, pedidos cancelados e divergência de inventário são resolvidos.

Visibilidade da frota

Não estamos falando de propagandas publicitárias mas sim de um conhecimento aprofundado sobre o cliente e a rastreabilidade dos produtos, tanto internamente quanto quando os objetos são encaminhados para entrega.

Assim a oferta e demanda ficam mais balanceadas e isso reduz despesas e otimiza a qualidade dos serviços prestados.

Gestão de frotas

A gestão de frotas engloba as atividades que gerenciam os veículos pertencentes à uma mesma empresa. Essa estratégia integra recursos, informações e sistemas e deve seguir algumas orientações:

  • As transações devem ser automatizadas para reduzir tempo, custo e erros humanos
  • Compartilhar os cronogramas, dados de estoque e demanda
  • Criar uma rede de colaboração para responder às mudanças no mercado

O que também ajuda na gestão de frotas é ter dados analíticos como base para monitorar os veículos. E ficar atento aos custos também é importante para identificar os gastos com maior precisão.

Para ter um setor de logística funcionando de forma inteligente é necessário ter visão de futuro, flexibilidade e dinamismo. Por isso também é importante investir em alguns recursos tecnológicos que facilitam todos os pontos que citamos no decorrer do texto.

O que é consultoria empresarial?

Em que momento a terceirização se faz necessária dentro de uma empresa? Entenda.

Não é segredo para nenhum empresário que uma boa gestão garante ao empreendimento uma estrutura sólida no mercado e diante das crises e adversidades que toda empresa passa. Contudo, também é essencial dar atenção à realização do serviço, atendimento aos clientes, qualidade do produto ou serviço, e outros fatores, que também garantem que a empresa continue ativa.

Mas é muito comum que os sócios, principalmente de empresas pequenas, se dediquem à administração do negócio e deixem todos os outros fatores de lado. Assim, o tempo fica curto para fazer tudo de maneira apropriada, caindo a produtividade e consequentemente os lucros. E uma das saídas encontradas para solucionar este problema é a terceirização, trabalhando com parceiros qualificados a empresa tem a oportunidade de acompanhar mais de perto as atividades, além de poder otimizar processos, e os empresários podem se dedicar a outros objetivos e atribuições.

Outros casos

O tema da terceirização abrange não só as empresas que optam por adotar essa modalidade de serviço para suprir demandas, há também as que baseiam seu negócio em serem terceirizados. É o caso das empresas especializadas na terceirização de alimentos, produtos e serviços, que suprem a demanda dos empreendimentos que optam por recorrer a essa modalidade. E mesmo esses negócios às vezes sentem a necessidade de se dedicaram a uma só atividade, é o caso da Mix Nutri, especializada em suplementos alimentares.

Inicialmente a empresa fazia a terceirização dos produtos, no entanto houve uma divisão e um outro empreendimento assumiu essa tarefa. É o que explica o diretor executivo Danilson Charro “A divisão dos negócios foi determinante para que a Área comercial pudesse dar foco para cada negócio de forma isolada, as tratativas e os entendimentos eram conflitantes”. Hoje é a fábrica de suplementos DR IND a responsável pelo setor de terceirização de alimentos.

Mas e os clientes, será que eles não podem ficar confusos com esse tipo de divisão? Danilson garante que não “O entendimento e a comunicação não faz transparecer essa leitura, a Mix Nutri é vista como uma empresa terceirizada que possui a qualidade da DR IND, empresa que contém vários cases de sucesso com empresas nacionais e internacionais”.

Essas são decisões que precisam ser tomadas com cautela e analisando bem o formato e as atividades que a empresa desempenha para que não sejam criados problemas para as empresas e seus funcionários.

O estilo 80/20: menos é mais!

Segundo Richard Koch, o melhor modo se obter mais é fazer menos! Menos é mais quando nos concentramos nas poucas coisas realmente importantes e que proporcionarão felicidade a nós e a aqueles a quem amamos.

 

No livro “O estilo 80/20” ele usa o Princípio de Pareto para demonstrar que 20% dos nossos esforços sejam no trabalho ou em nossos relacionamentos são responsáveis por 80% dos resultados. Em outras palavras: uma minoria de ações leva a maior parte dos resultados, em contrapartida, uma maioria de ações leva a menor parte dos resultados.

 

Estilo 80/20Reflita um minuto: Quais são as suas ações 80/20, ou seja, quais são os 20% de ações que irão gerar os 80% de resultados para alcançar seus objetivos pessoais e profissionais atualmente?

 

Muitas vezes, você acaba desperdiçando tempo em tarefas de pouca relevância para o resultado que está buscando, às vezes somente por preciosismo, ou uma busca de perfeição que jamais irá alcançar.

 

Este livro ira ajudá-lo a pensar qual é o seu verdadeiro destino, aquele que você quer de verdade e irá guiar o seu pensamento e suas ações ao encontro dele. Mostra uma grande oportunidade de melhorarmos a administração de nosso tempo. Nos ensina também a darmos foco naquilo que realmente interessa, e vai trazer resultados para a nossa vida e nossa felicidade.

 

Boa leitura!